No Dia Mundial do Consumidor, Instituto Akatu completa 11 anos e apresenta o Decálogo do Consumo Consciente

 

Neste Dia Mundial do Consumidor (15 de março), o Instituto Akatu completa 11 anos na atividade de mobilizar as pessoas para o poder de transformação de seus atos de consumo consciente. Ao longo desses anos, aprendemos que a solução para a sustentabilidade exigirá a participação de diversos agentes sociais, envolvendo organizações multilaterais, governos nacionais, corporações e organizações da sociedade civil.

A reflexão do Akatu levou a um decálogo do consumo consciente, dez caminhos que são certamente essenciais para que os modos de produção e consumo se tornem mais sustentáveis.

 

O Decálogo do Consumo Consciente propõe um consumo que valorize:

1.      os produtos duráveis mais do que os descartáveis ou de obsolescência acelerada;

2.      a produção e o desenvolvimento local mais do que a produção global;

3.      o uso compartilhado de produtos mais do que a posse e o uso individual;

4.      a produção, os produtos e os serviços social e ambientalmente mais sustentáveis;

5.      as opções virtuais mais do que as opções materiais;

6.      o não-desperdício dos alimentos e produtos, promovendo o seu aproveitamento integral e o prolongamento da sua vida útil;

7.      a satisfação pelo uso dos produtos e não pela compra em excesso;

8.      os produtos e as escolhas mais saudáveis;

9.      as emoções, as ideias e as experiências mais do que os produtos materiais;

10.  a cooperação mais do que a competição.

 

O Akatu apresenta o Decálogo como uma forma de convite a cidadãos, setor produtivo e governos para se mobilizar a construir uma sociedade mais sustentável e que possa atender ao bem estar de toda a humanidade. Esta construção parte de um novo modelo de consumo visando uma sociedade com maior equidade e justiça, que inspire oportunidades de negócios social e ambientalmente mais sustentáveis, buscando a maior eficiência possível no uso dos recursos naturais, e uma rentabilidade justa no uso do capital.

 

Dados sobre consumo atualmente:

  • ·         A humanidade já consome 50% a mais de recursos naturais renováveis que o planeta consegue repor
  • ·         Apenas 16% da população mundial consome 78% dos recursos retirados do planeta
  • ·         Um terço dos alimentos perecíveis comprados pelas famílias brasileiras vão direto para o lixo
  • ·         Cada brasileira descarta, em média, 1,4 kg de lixo por dia. Durante toda a vida, serão 37 toneladas. Uma família de quatro pessoas vai acumular 150 toneladas
  • ·         Apenas 1,2% do lixo brasileiro é reciclado pelas prefeituras
  • ·         Segundo a ONU, o Brasil, entre os emergentes, é o país que mais gera lixo eletrônico de computador por pessoa. Tudo somado, são 100 mil toneladas/ano.

 

Dicas Conscientes:

  • ·         Economize água

Se apenas duas pessoas em cada casa da Região Metropolitana de São Paulo reduzirem em cinco minutos o tempo de água corrente no banho, mais 13,4 bilhões de litros de água serão economizados todos os meses. Essa água economizada seria suficiente para abastecer uma população de 2,9 milhões de habitantes – mais do que Salvador.

  • ·         Exija madeira certificada

Cerca de 70% da madeira retirada ilegalmente da Amazônia é usada no Brasil. Em 2010, foi devastada área de floresta igual a quase cinco vezes o município de São Paulo. Compre móveis com selo de certificação garantindo que a madeira não vem de desmatamento. Ao rejeitar o móvel que não comprova a origem da madeira, você ajuda a evitar a devastação.

  • ·         Escolhas sustentáveis inspiram mudanças nas empresas

Você, consumidor, tem um poder que muitas vezes desconhece, afinal, as despesas diárias das famílias brasileiras somadas em um ano superam toda a produção e o consumo da África do Sul e quase chegam a uma Holanda.  Preferir empresas e produtos que respeitam a natureza melhora nosso mercado e estimula mais empresas e produtos a ser sustentáveis.

  • ·         Não queime seu dinheiro

O cigarro é fator de risco para mais de 20 doenças. Além disso, causa forte impacto no orçamento doméstico. Um casal fumante transforma anualmente em média quatro meses de salário mínimo em fumaça, além de arriscar a ter uma possível doença grave no futuro.

  • ·         Elimine o desperdício e poupe seu dinheiro

Alimento é o item de consumo que mais pesa no orçamento das famílias. E é também o mais desperdiçado. Jogamos fora 1/3 dos alimentos perecíveis que compramos. Se deixasse de desperdiçar 20% do que é comprado, e colocasse essa economia na poupança, em 20 anos, uma família média brasileira acumularia quase R$ 45 mil reais!!

  • ·         Planeje as compras, reduza desperdício, reuse, recicle, assim você vai produzir menos lixo

Se todo o lixo coletado no Brasil fosse espalhado por uma estrada ao longo do nosso litoral, assim como jogamos no cesto em casa, em um único dia, a pista ficaria totalmente coberta por um tapete de 3,13 cm de resíduos. Em apenas um mês já seria um muro de lixo de quase um metro de altura do Oiapoque ao Chuí. Com o lixo acumulado em um ano, nossas praias ficariam bloqueadas de norte a sul por uma enorme muralha mal cheirosa da largura de uma pista e mais de 11 metros de altura.

  • ·         Para cada churrasco plante uma árvore

Para produzir apenas um quilo de carne são emitidos 3,7 kg de CO2. Num churrasco para cem pessoas, em que se consomem, em média, 50 kg de carne, serão emitidos, só na produção da carne, 185 quilos de CO2. A quantidade é o equivalente ao que uma árvore da Mata Atlântica sequestra durante seu crescimento em 37 anos. Isso sem contar o impacto de transporte, carvão, bebidas, pratos, copos, talheres e o todo o lixo produzido no final.