O verão é uma delícia. Com segurança e economia de energia, então, nem se fala!

Para aproveitar melhor os benefícios que a estação mais ensolarada oferece, a empresa SIL, fabricante nacional de fios e cabos destinados às instalações elétricas com tensões até 1kV (baixa tensão), também tem se preocupado em orientar o consumidor a utilizar a energia de forma racional e segura, inclusive em momentos mais descontraídos, como nas férias de verão.

 

Neste período muita gente opta por viajar, após um longo ano de trabalho. O que nem todos percebem é que os meses de verão também podem ser utilizados para economizar energia, desde que algumas práticas simples sejam adotadas.

 

Como afirma Nelson Volyk, gerente de engenharia e qualidade da SIL, pequenas mudanças de hábito podem trazer benefícios que o consumidor não imagina. “Muitas vezes as pessoas pensam que os ganhos decorrem apenas de grandes mudanças ou mesmo de altos investimentos. Elas desconhecem que ações simples podem gerar uma economia significativa no consumo de energia, sem abrir mão do conforto e bem-estar”, pondera.

 

Para ajudar os consumidores a aproveitar melhor o verão a SIL dá as seguintes dicas:

 

Chuveiro elétrico – Um dos pontos que possibilitam ao consumidor maior economia de energia está no uso do chuveiro elétrico. A temperatura mais alta nessa época do ano permite que o usuário troque no aparelho a posição ‘inverno’ pela ‘verão’ ou, dependendo do modelo, das posições mais potentes para as que aquecem menos a água. Obviamente, para se obter maior economia de água e energia esta alteração deve ser acompanhada de uma simples mudança de hábito: banhos mais rápidos. “Não adianta reduzir o consumo do chuveiro e aumentar o tempo do banho”, lembra o executivo da SIL.

 

Ar-condicionado – A alta temperatura dos meses de verão também leva ao uso de aparelhos de ar-condicionado. Nesse caso, o equipamento é um grande consumidor de energia, portanto, para minimizar o consumo do ar-condicionado deve-se combater o desperdício. Para isso, toda vez que este aparelho for ligado, portas e janelas devem estar fechadas. Assim, haverá confinamento do ar frio e o desempenho do equipamento será melhor. Ele também deve ser dimensionado corretamente, ou seja, a potência de refrigeração em BTU (British Temperatura Unity – Unidade Inglesa de Temperatura) deve ser adequada ao tamanho do ambiente.

 

Ventiladores – No combate ao calor, o aparelho mais utilizado pelo brasileiro é o ventilador, seja ele de teto, parede ou de mesa. Apesar de normalmente ficar ligado por muitas horas seguidas, ele não se caracteriza por ser um grande consumidor – geralmente, os modelos não passam de 125W de potência. Mesmo assim, algumas medidas podem ser adotadas para reduzir o tempo de uso do ventilador. Manter portas e janelas abertas para facilitar a circulação do ar, por exemplo, pode ajudar a manter o ambiente mais fresco, eliminando a necessidade de ligar o equipamento. “E, para economizar energia, é fundamental mantê-lo desligado quando não houver ninguém no ambiente”, lembra Volyk.

 

Geladeiras – Outros equipamentos que permitem reduzir o consumo através da mudança de hábitos são as geladeiras. “Nesse caso o consumo sobe à medida que se torna frequente o ato de abrir e fechar a porta, principalmente em curtos espaços de tempo”, ressalta Volyk. A explicação é simples: ao abrir a porta o usuário permite que o ar quente de fora penetre no interior da geladeira, fazendo com que o compressor do equipamento atue para novamente baixar a temperatura, elevando o consumo de energia. Também há problema quando a borracha da porta da geladeira não está em bom estado. “Nesse caso, ela não veda corretamente o equipamento, permitindo a fuga do ar frio interno para a parte externa. Mais uma vez o compressor entra em ação para compensar a perda e eleva o consumo, por isso, orientamos a procurar um profissional para fazer uma avaliação e, se necessário, substituir a borracha”, sugere o gerente da SIL.

 

Viagens – Para as pessoas que viajam, algumas medidas devem ser adotadas tanto para baixar o consumo, como também para aumentar a segurança nas residências. A SIL orienta que, no caso do consumo, não basta apagar as luzes e desligar os aparelhos elétricos. A recomendação é que todos os equipamentos sejam desligados das tomadas. Alguns deles, como micro-ondas e aparelhos de DVD, por exemplo, têm displays que ficam consumindo energia enquanto os proprietários estão fora. O mesmo ocorre com televisores e aparelhos de som que têm luzes de stand-by.

 

Tirar os equipamentos das tomadas também aumenta a segurança. “Quando eles ficam conectados, mesmo desligados, eles podem ser vítimas de uma eventual sobretensão elétrica, que pode levar à queima dos produtos, especialmente daqueles que são mais sensíveis”, alerta o executivo da SIL. Em situações mais críticas, o risco pode ser ainda maior, com a queima dos equipamentos provocando incêndio no imóvel. Para evitar o problema, também se recomenda a instalação de dispositivos de proteção contra surtos (DPS) no quadro de força.

 

  

Informações para imprensa:

Via Pública Comunicação – www.viapublicacomunicacao.com.br

Sheila Diez: (11) 3473.0255 – 8540.7777 – sheila@viapublicacomunicacao.com.br

Inês Cardoso: (11) 3562.5555 – 9950.6687 – ines@viapublicacomunicacao.com.br